Pato ou Águia

Esta história fala de um homem que estava no aeroporto quando um taxista se aproximou. A primeira coisa que notou no táxi foi uma frase: Pato é que decide.

A segunda coisa que notou foi um táxi limpo e brilhante, o motorista bem vestido, camisa branca com gravata e calças bem passadas.

O taxista saiu, abriu-lhe a porta e disse:

“Viva! Eu sou o João, o seu chofer. Enquanto guardo a sua bagagem, gostaria que o senhor lesse neste cartão qual é a minha missão.

“No cartão estava escrito: Missão do João  – Levar os meus clientes ao seu destino de forma rápida, segura e econômica, oferecendo um ambiente amigável”. 

Ficou impressionado, pois o interior do táxi estava igualmente limpo.

Então o taxista João perguntou-lhe:

“O sr. aceita um café?” Brincando com o passageiro disse-lhe: “Não, prefiro talvez um refrigerante”. Imediatamente ele respondeu: Tudo bem! Eu tenho uma mala térmica com refrigerantes normais e também diet, assim como água”. Se desejar ler,  tenho o jornal de hoje e também algumas revistas.” 

Ao começar o trajeto o taxista mostrando-lhe um catálogo, disse-lhe: “Estas são as estações de rádio que tenho e este é o repertório que elas tocam. E como se já não fosse muito, o João ainda lhe perguntou se a temperatura do ar condicionado estava boa.

De seguida avisou-o qual era o melhor trajeto para o seu destino e se ele queria conversar com ele ou se preferia que não fosse interrompido. 

O passageiro perguntou-lhe: “O senhor atende sempre os seus clientes desta forma?” “Não”, respondeu ele.

“Nem sempre. Apenas nos últimos dois anos. Os meus primeiros anos como taxista passei a maior parte do tempo a queixar-me da mesma forma que outros taxistas.

Um certo dia ouvi um especialista em desenvolvimento pessoal, autor de um livro chamado “Quem você é faz a diferença.” Dizia ele: Se se levanta pela manhã e pensa que terá um dia péssimo, certamente que o terá. Não seja um PATO! Seja uma ÁGUIA!

Os patos fazem muito barulho e queixam-se, as águias elevam-se acima do grupo. Ora eu andava sempre a reclamar e a queixar-me. Então decidi mudar as minhas atitudes e ser uma águia. Reparava nos outros táxis e motoristas. Muitos táxis sujos, e também alguns motoristas pouco amigáveis e clientes insatisfeitos.

Decidi fazer umas mudanças. Como os meus clientes reagiram bem, fiz ainda mais algumas mudanças. No meu primeiro ano como águia, dupliquei o meu rendimento. Este ano, já quadrupliquei. O senhor teve sorte em apanhar o meu táxi hoje. Já não me submeto a fila dos táxis. Os meus clientes fazem reserva através do meu número de telemóvel ou mandam mensagem. Se não puder atender, consigo um amigo taxista “águia” confiável para fazer o serviço.”

O João era diferente. Oferecia um serviço de limusine num táxi normal. Decidira deixar de fazer ruído e queixar-se como fazem os patos e passou a voar por sobre o grupo, como fazem as águias.


Não importa se você trabalha num escritório, em manutenção, professor, serviços públicos, político, executivo, empregado ou profissional liberal ou mesmo taxista!

Como é que se comporta? Dedica-se a fazer barulho e a queixar-se? Ou está a elevar-se acima dos demais? Lembre-se: A DECISÃO É SUA! Esta chave só abre pelo lado de dentro! E CADA VEZ HÁ MENOS TEMPO PARA MUDAR! Este ano não terá nada de novo se não tivermos atitudes novas! Que possamos ser melhores pais, melhores maridos, melhores esposas, melhores mães, melhores filhos, melhores seres humanos!

É absurdo repetir os erros do passado! Que possamos abraçar mais, elogiar mais, agradecer mais!

Que a vida nos possa dar a sabedoria necessária, para podermos ser Águias, e fazer grandes voos, para que possamos viver num mundo melhor!

Bem hajam, 

Miguel Ferreira

«
»