29 Set, 2019

Liderança Empática

29 Set, 2019

Este estilo de liderança tem provado ser uma das melhores formas de progresso no âmbito das grandes equipas, nos mais diversos contextos empresariais e organizacionais, nomeadamente, no processamento das queixas e insatisfações.
Se quer fazer a diferença no lugar onde atua e influenciar positivamente as pessoas que o rodeiam, será fundamental desenvolver habilidades de influência e consequente liderança, independentemente do seu nível hierárquico, posição ou situação.
Quando falamos de desenvolvimento de pessoas, talvez o maior desafio seja saber lidar com o aspeto comportamental. Diversos estudos, levados a cabo por vários investigadores, em empresas de marcas que se destacam, bem como no seio de equipas desportivas que atuam ao mais alto nível, mostram que o elemento distintivo são as pessoas que ocupam as posições de maior responsabilidade, não só pelas suas capacidades técnicas, mas sobretudo pelo estilo de liderança: neste caso, a liderança empática.
Especificamente, será essencial estar presente de forma integral, saber ouvir, incluir e conciliar situações. Estes líderes, têm sempre presente a coerência, a ética, a integridade e a fidelidade aos seus valores, e só depois pensam nos resultados.
Mas, afinal, o que é empatia?
A empatia significa “colocar-se nos sapatos do outro”, e compreender como seria se estivesse na sua situação, sem que ele se expresse verbalmente. Ou seja, através do tom de voz e da sua expressão fisiológica, o outro demonstra se está satisfeito ou insatisfeito.
Utilizando a habilidade da empatia, os líderes poderão melhorar o seu comportamento durante o exercício das suas funções, evitando as queixas e as insatisfações dos seus funcionários.
Um líder empático demonstra um interesse genuíno e ativo perante as preocupações dos colaboradores, sendo capaz de comunicar de forma efetiva com a sua equipa, despertando na mesma o desejo de trabalhar, assumindo os objetivos a alcançar como sendo seus.
Na atualidade, já não existe espaço para um líder que atue como um “ditador” ou que não comunica. Conforme a nossa sociedade foi avançando, de uma perspetiva mecanicista e hierarquizada de processos para uma perspetiva mais sistémica, também a figura do líder eficiente passou por profundas transformações. Nos tempos que correm, a liderança mais efetiva é aquela que é mais valorizada, pois apresenta uma a visão mais humanizada dos colaboradores.
As equipas procuram alguém que, além de liderar, apoie, suporte e conduza os diferentes membros de forma humana. Valorizar cada vez mais as pessoas e fazer um bom uso das suas competências humanas é um dos principais papéis do líder moderno.

Seguem as 5 habilidades-chave que é preciso desenvolver para promover uma liderança empática:

Empatia
Naturalmente, para qualquer pessoa que se queira tornar um líder empático é fundamental desenvolver a capacidade de se colocar no lugar dos outros.
Para além de entender ao nível racional a estrutura do que o outro está a pensar, sobretudo, consegue entender como é que uma ação irá afetar cada um dos membros da sua equipa.
Embora possa ser uma capacidade que, com treino se desenvolva, e quanto mais treinar mais a desenvolve, as pesquisas mais recentes demonstram que é possível desenvolver empatia com a maioria das pessoas.

Entusiasmo
Ao desenvolver habilidades de liderança empática será capaz de colocar paixão e energia em tudo o possui, propõe e realiza, servindo de exemplo para os que o rodeiam.

Cordialidade
Ao conseguir colocar-se no lugar dos outros membros da equipa, também será capaz de fornecer as propostas e soluções que são solicitadas, de forma sensível e justa, de acordo com as exigências e especificidades das circunstâncias. Portanto, um relacionamento cordial ajudará a manter uma ótima relação no trabalho e na equipa, aumentando não só os resultados, como a satisfação no interior da mesma.

Tranquilidade
De forma tranquila, o líder empático poderá lidar melhor com situações mais complexas, tensas ou stressantes. É fundamental ser um exemplo na forma como trata este tipo de situações, gerindo de forma adequada os seus impulsos e, assim, obter ainda mais respeito dos seus colaboradores.

Estabelecer limites
Para além de ser capaz de entender os restantes elementos da sua equipa, um bom líder empático procura manter sempre uma certa distância, gerindo as relações de confiança, ao mesmo tempo que mantém a sua posição de destaque perante os outros. Aqui sobressaem, como habilidades essenciais, a comunicação objetiva e a assertividade.

Bem hajam,

programação neurolinguística

MIGUEL FERREIRA

Consultor Formador Mestrado Avançado, Profissional e Instrutor de Programação Neurolinguística

Licenciado em Psicopedagogia, Especializado em Psicologia Clínica e da Saúde.

«