04 Jun, 2017

O burro que caiu no poço

04 Jun, 2017

O burro que caiu no poço

Era uma vez um burro velho que conversava com o seu neto. O burrinho jovem perguntou: “avô, como é que eu faço para quando crescer ser um burro tão bem sucedido como você?” O avô respondeu: “eu vou-te contar uma história, que vai te ensinar por que eu sou tão bem sucedido”. “Um dia, quando ainda era jovem, eu passeava num campo e, distraído, caí num poço fundo e abandonado que existia na propriedade. Lá fiquei eu, assustado, a morrer de medo, até que apareceu o dono da propriedade. Olhou para mim e até se riu de mim, virou as costas e foi-se embora. No dia seguinte, voltou com várias outras pessoas, que me tentaram tirar lá do fundo.

Cada vez que tentavam, eu ficava cada vez mais apavorado, pois sentia que não iam conseguir. A certa altura o proprietário fartou-se daquilo e disse: “Bem pessoal, chega. Este poço já não serve para nada e o burro está velho. Vamos tampar o buraco e enterrar o burro aí dentro. Para meu pavor e sofrimento, começaram a mandar terra e entulho para cima de mim. Aquilo incomodava-me muito, e a cada vez que o entulho caía, eu sacudia o meu lombo e pisava. Era cansativo, mas era a única coisa que eu podia fazer naquele momento. Sacudir e pisar. Depois de algumas horas a receber entulho no lombo, sacudindo e pisando, para meu espanto, dei-me conta que estava quase na superfície, saindo do buraco. No final, o poço estava fechado e eu estava fora, na superfície. Isto serviu-me de lição e a partir daí, sempre que “recebo qualquer entulho no lombo”, tudo o que eu faço é sacudir e pisar.” “Portanto, para si, meu netinho, o que tenho a dizer é que se quiser ser bem sucedido na vida, primeiro vais ter de aprender a sacudir e pisar”. As nossas atitudes determinam o mundo em que vivemos. São os fundamentos para o sucesso ou fracasso. As atitudes abrem o caminho para a maneira com que nos sentimos, encaramos e reagimos ao mundo.

Essas mesmas atitudes determinam o que sentimos em relação às pessoas e situações na vida, e as nossas acções são o resultado das nossas atitudes, que por sua vez resultam dos nossos pensamentos e na nossa forma de reagir ao que nos acontece. E isto influência as reacções das outras pessoas. Então de onde vêm as atitudes negativas? É claro, vêm dos pensamentos negativos que temos a cada dia, ao longo da vida, e que nem sentimos mas que já passaram a fazer parte da nossa mente subconsciente. Esses pensamentos ou representações internas (termo neurolinguístico) é que criam as nossas expectativas e por vezes acabam por atrair o fracasso e os desastres, como um íman. E desta forma, as nossas crenças ou convicções negativas são reforçadas, ou seja, aquilo que esperamos, até agirmos inconscientemente para que nos aconteça. É daqui que resulta a expressão “aquilo que você pensa, é aquilo que você obtém”. A partir de agora, sempre que “cair no fundo de algum poço”, ou sempre que a vida lhe mandar “entulho” sobre os ombros, lembre-se da experiência do avô burro. Em 2011 e nos anos que se sucedem, aprenda a sacudir e pisar que o mundo voltará a sorrir-lhe.

Bem hajam e bons resultados.

Miguel Ferreira

«
»