06 Out, 2018

As ervas daninhas e as rosas

06 Out, 2018

Partindo do principio que até pode saber quais são os valores que quer realizar na sua vida para que esta tenha sentido e seja mais agradável, por vezes é como se fosse impossível segui-los.

Quando ocupa mais tempo e espaço mental com as suas recordações, traumas e decepções do passado do que as suas conquistas e motivações, perde o sentido e o propósito de vida. Então vamos esclarecer como é que podemos caminhar de forma mais leve, com sentido, tolerando e aceitando o mal-estar que tem o caminho da vida.

“Imagine que tem um jardim que está cheio de rosas preciosas que quer manter. Este jardim é importante para si, assim como conseguir manter as rosas e outras flores brotarem. No entanto, no jardim também existem ervas daninhas.

Às vezes passa muito tempo a retirar as ervas daninhas, mas estas brotam cada vez mais fortes e em mais lugares. Pela sua insistência em retirar as ervas daninhas, descuidou-se das rosas, aquilo que dava sentido ao seu jardim, até que elas murcharam.

As rosas estão murchas e as ervas daninhas estão agora mais fortes do que nunca. Antes quase não as via, porque houve um tempo em que se dedicava as rosas e deixava para lá as ervas daninhas que nascem em qualquer jardim, pois ficavam muito pequenas diante da grandiosidade e beleza das grandes rosas vermelhas”.

Reflita sobre isto e relacione com o que lhe acontece na sua vida e na sua mente: Há quanto tempo se dedica mais a eliminar estes sentimentos e maus pensamentos, do que a luta pelo que realmente quer na vida?

Os maus pensamentos são como as ervas daninhas do seu jardim, quanto mais se empenha para eliminá-los, mas presentes se fazem. Se os ignora e tolera o mal-estar que às vezes causam, terá muito mais tempo para se dedicar às rosas importantes na sua vida: a sua independência, auto-suficiência, viagens, paixões, superação ou tranquilidade.

«
»