31 Ago, 2018

7 Atitudes para ser Feliz

31 Ago, 2018

Se perguntar a alguém o que quer da vida, a resposta mais comum será: Quero ser feliz! Segundo a Programação Neurolinguística a felicidade é um estado elevado e só é alcançado quando os nossos valores essenciais são realizados. Alias, é isso que nos torna felizes. Mais do que alcançar metas de sonho, será viver um caminho fantástico e para isso ficam aqui 7 atitudes para ser feliz que pode adotar.

1. Desista da necessidade de ter razão.

Muitas pessoas não podem suportar a ideia de estarem errados – querem sempre ter razão – mesmo correndo o risco de acabar com grandes relacionamentos ou causar stresse e sofrimento, para elas e para os outros. Sempre que sentir uma necessidade “urgente” de começar uma discussão sobre quem está certo ou errado, pergunte a si mesmo: “Eu prefiro estar certo ou ser gentil?”

2. Desista da necessidade de controle.

Estar disposto a abandonar esta necessidade de estar sempre no controle de tudo o que lhe acontece e ao seu redor – situações, eventos, pessoas, etc. Quer sejam entes queridos, colegas de trabalho ou apenas estranhos que conheceu na rua – deixe que sejam o que são. Deixe que tudo e todos sejam exatamente o que são e verá como isso o irá fazer sentir-se melhor.

3. Pare de olhar para fora: culpar, reclamar e criticar.

Se quer mesmo ser feliz, desista de olhar tanto para fora! – Culpar as outras pessoas pelo que você tem ou não, pelo que você sente ou deixa de sentir. Pare de se desculpar e comece a responsabilizar-se pela sua vida. Também é muito prejudicial para ser feliz, estar sempre a reclamar daquelas várias pessoas, momentos, situações que o deixam aborrecido ou depressivo. Ninguém o pode deixar infeliz, nenhuma situação o pode deixar triste ou na em baixo, a não ser que o permita. Não é a situação que liberta estes sentimentos em si, mas como escolhe encará-la. Valorize sempre o poder do pensamento positivo.

Desista do hábito de criticar coisas, eventos ou pessoas que são diferentes de si. Nós somos todos diferentes e, ainda assim, todos iguais. Todos nós queremos ser felizes, queremos amar e ser amados e ser sempre compreendidos.

4. Abandone o diálogo auto-destrutivo.

Quantas pessoas estão constantemente a magoarem-se por causa da sua mentalidade negativa, poluída e repetidamente derrotista? Não acredite em tudo o que a sua mente lhe diz – especialmente, se for pessimista. Você é melhor do que isso.

5. Esqueça os “mapas” (rótulos) a si e aos outros. 

Acabe com as suas crenças limitadoras, sobre o é e o que não é, sobre o que pode ser ou não ser. Pare de rotular aquelas pessoas, coisas e situações que não entende como se fossem esquisitas ou diferentes e abra a sua mente, pouco a pouco. A mente é como um guarda chuva, só funcionam quando aberta.

Pare com as ideias limitadoras sobre o que é possível e o que é impossível. De agora em diante, não permita que as suas crenças restritivas o deixem empacado no lugar errado. Abra as asas e voe!

6. Desista da necessidade de impressionar e agradar aos outros. 

Pare de tentar ser algo que não é só para que os outros gostem de si. Há pessoas que vivem uma vida que não é delas, pois vivem de acordo com o que outras pessoas pensam que é o melhor para elas, de acordo com o que os pais, amigos, inimigos, professores, governo e até os mass média pensam que é o melhor para elas.

No momento em que tira todas as máscaras e aceita quem realmente é, vai descobrir que as pessoas serão atraídas por si, sem qualquer esforço.

7. Liberte-se da resistência à mudança, abandonando os seus medos. 

O medo é só uma ilusão, não existe – você é que o inventou. Está tudo na sua mente. Corrija o seu interior e, no exterior, as coisas vão-se encaixar. Mudar é bom. Mudar é o que o vai ajudar a ir de A a B. Mudar vai melhorar a sua vida e também as vidas de quem vive á sua volta. Siga a sua felicidade, abrace a mudança – não lhe resista.

Você tem a sua vida agora – pode vivê-la, dominá-la e, especialmente, não deixar que as opiniões dos outros o distraiam no seu caminho.

Embora pareçam simples, nem sempre conseguimos! Então, o que nos pode impedir?

Bem hajam,

Miguel Ferreira

«
»